Plantão
Covid-19

Após aumento nos casos de Covid-19, Chile coloca Santiago e outras regiões em lockdown

Publicado dia 10/06/2021 às 19h01min
Vacinação continua em ritmo rápido no país, mas o patamar ainda é insuficiente para acabar com a transmissão do coronavírus.

O governo do Chile anunciou nesta quinta-feira (10) que colocará a região metropolitana da capital Santiago e outras partes do país novamente em lockdown, devido à piora no número de novos casos diários de coronavírus.

A medida começa a valer no sábado (12), e as restrições são severas: bares e restaurantes não poderão atender clientes e escolas não terão aulas presenciais (veja quais são as restrições mais adiante nesta reportagem).

Dados da Universidade Johns Hopkins, instituição americana que monitora a pandemia pelo mundo, mostram que o Chile registra uma média móvel de cerca de 7 mil novos casos por dia e 100 mortes por Covid-19 diariamente.

Esses números contrastam com a vacinação em ritmo relativamente rápido no Chile. Estima-se que 45% da população esteja completamente imunizada contra o coronavírus, considerando as duas doses. No entanto, o percentual ainda é insuficiente para que haja a imunidade coletiva capaz de barrar a transmissão da doença.

O dado menos negativo é que a média móvel de mortes — em torno de 100 a cada dia — não apresentou grandes mudanças nos últimos dias. Isso pode significar que as vacinas estejam prevenindo que os infectados já imunizados desenvolvam a forma grave da Covid-19.

Não é a primeira vez que o Chile coloca parte da população em lockdown mesmo com a vacinação avançando: em março, um novo pico da Covid-19 fez as autoridades decretarem confinamento.

 

Lockdown no Chile

O Chile adota um sistema com quatro classificações sobre a transmissão do coronavírus: de 1 para 4, do menor (mais grave) para o maior (menos grave). Santiago e de partes das regiões de Valparaíso, Maule, O'Higgins e Los Lagos retrocederam para a fase 1, de "quarentena" — que, na prática, é um lockdown ou confinamento.

Veja as restrições que Santiago e outras partes do Chile enfrentarão:

 

  • Proibição do atendimento presencial em restaurantes e cafés
  • Fechamento de bares, discotecas e outros locais semelhantes
  • Fechamento das escolas, que deverão passar para a modalidade on-line
  • Proibição de reuniões sociais, exceto funerais e cerimônias religiosas
  • Toque de recolher entre 22h e 5h
  • Atividades ao ar livre restritas ao ar livre permitidas das 5h às 9h (5h às 10h aos fins de semana)
  • Fica permitido o atendimento de farmácias e mercados e a entrega em domicílio de todos os tipos

 

 

Copa América

O Chile chegou a ser ventilado como opção de sede para a Copa América momentos antes de a competição ser retirada da Colômbia (devido aos protestos no país) e da Argentina (por causa da piora da pandemia). Entretanto, a Conmebol, entidade máxima do futebol na América do Sul, concordou com o governo brasileiro em organizar a competição no Brasil. A abertura ocorre no domingo.

Em nota divulgada após a partida Brasil x Paraguai, válida pelas Eliminatórias da Copa de 2022, jogadores da Seleção Brasileira disseram ser contrários à organização da Copa América em território brasileiro e afirmaram que seriam contra também se a competição fosse jogada no Chile. No entanto, eles reiteraram que participarão do evento.

 

"Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil", diz o texto divulgado pelos jogadores.
Fonte: G1.